A PNL é uma abordagem que apresenta um modelo focado em soluções.

Desde a década de 70, quando foram lançadas suas bases, a PNL estabeleceu suas colunas na observação e na modelagem da excelência humana.

Estudos realizados por grandes pesquisadores, como o professor Karl Duncker, especialista na área da psicologia de resolução de problemas e formulação de objetivos, mostram que as pessoas que têm os seus objetivos claramente definidos são as que alcançam mais sucesso no que fazem.

O conhecimento de onde se está (estado atual), seus principais recursos, cenário ao redor, onde se deseja chegar (estado desejado) e quais os objetivos se deseja alcançar é essencial para o alcance do sucesso em qualquer projeto, pessoal ou profissional.

E a PNL fornece um modelo para a boa formulação de objetivos, construído a partir da observação e modelagem de pessoas que alcançaram sucesso, de maneira congruente, nas diversas áreas de suas vidas.

Objetivos e Metas

No livro bíblico de Gênesis, observamos o episódio de Deus, chamando por Adão: “Adão, onde estás?” Estudos apontam que Deus, em sua onisciência, sabia perfeitamente onde Adão se encontrava e qual era o seu estado. Porém, a intenção era dar a mesma consciência dos fatos a Adão.

Atualmente, é unânime na área do desenvolvimento humano a relevância de uma criteriosa avaliação do estado que uma pessoa se encontra, o que ela deseja alcançar e, principalmente, como ela irá alcançar. Ou seja, qual o caminho ela deverá trilhar para chegar lá?

Muitos são os motivos pelos quais muitas pessoas encontram dificuldades para realizarem seus objetivos e metas.

Objetivos inespecíficos e generalizados, como “quero ser feliz” ou “quero ficar em paz”, ou que dependem mais de terceiros, ou formulados de forma negativa, como “não quero viver assim” não fornecem ao cérebro humano os comandos e as dicas para que a meta de fato seja alcançada.

O excesso de teorias e informações também acaba limitando o potencial de sucesso, pois falta energia para algo muito relevante, que é a ação!

Para viabilizar e solucionar estas questões a PNL fornece modelos simples para a boa formulação de objetivos e alcance dos resultados desejados. A visão de como se aprende novos e úteis comportamentos da PNL considera que o processo passa pela criação de mapas mentais inseridos no sistema nervoso.

Assim, a probabilidade de se atingir objetivos, por meio de novos comportamentos é diretamente proporcional à especificidade de detalhes desses mapas.

O foco e a crença que a pessoa possui o potencial e os recursos para o sucesso, agregados à combinação de técnicas e modelos úteis agregam os elementos para conquista de estratégias adequadas.

O que significa TOTS e qual o seu modelo?

A sigla T.O.T.S. é um acrônimo das palavras Teste – Operação – Teste – Saída e define a estrutura de um ciclo contínuo que ocorre até que uma condição seja satisfeita ou um resultado seja alcançado.

É um modelo adotado pela PNL da linguagem computacional, inspirado em estudos sobre estratégias difundidas na década de 60 por três  neurocientistas (George Miller, Eugene Galanter e Karl H. Pribam) e representa uma estrutura primária que descreve como avaliamos a eficácia de uma estratégia.

O TOTS opera no nível inconsciente. A partir de um teste inicial “T”, ocorre uma comparação entre estado atual e desejado (onde se está e aonde se quer chegar). Daí, prosseguem as operações “O”, até que ocorre o segundo teste “T”. Se o estado  desejado foi alcançado, o sistema fecha e ocorre a saída “S”.

Na PNL, estratégia significa o conjunto ou sistema de funcionamento interno pelo qual se dão os comportamentos das pessoas. Uma estratégia boa gera comportamentos adequados e de bom proveito para as pessoas.

Uma má estratégia afasta as pessoas de seus objetivos. O TOTS é um modelo de avaliação de estratégias que contribui para a programação de novos comportamentos. É a comparação de forma proveitosa a um programa de computador que define um critério, opera com os dados, e testa para ver se o  critério foi cumprido.

Se o critério não foi cumprido, o programa é executado de novo e de novo, repetidas vezes. Se o critério foi cumprido, o programa termina.

Na PNL, o primeiro teste na estratégia TOTS representa a comparação do nosso estado atual para o estado desejado — o objetivo. Se o teste falha, outra operação ocorre com o propósito de obter o resultado (o estado atual ser o mesmo do estado desejado) e assim o segundo teste compara novamente o estado atual com o desejado.

Se os critérios foram satisfeitos, o processo termina e ocorre a saída. Se não, refaz-se o procedimento até que seja satisfeito.

Geralmente, o modelo opera predominantemente na modalidade sensorial mais afim para a questão. Ao concretar uma coluna, um pedreiro usa a visão e as sensações táteis para identificar o ponto certo da massa, por exemplo.

O TOTS também pode elaborar e descrever, desde processos básicos, até os mais elaborados e integrados.